Pular para o conteúdo principal

SERÁ QUE VOCÊ TEM MAU HÁLITO ?




O curioso em relação ao mau hálito é que os portadores não conseguem perceber o odor desagradável que exalam. São os outros que notam e ficam constrangidos em avisar.

Cerca de 90% a 95% das halitoses, ou mau hálito, são causadas no ambiente bucal, principalmente na língua, e cerca de 5% a 10% têm causas sistêmicas. A língua possui diversas papilas gustativas que retêm resíduos de alimentos, células epiteliais descamadas e placas bacterianas que começam a fermentar e a liberar odor de enxofre. Essa é, sem dúvida, a principal causa do mau hálito.

Atribuir o mau hálito a problemas estomacais, como muitos fazem, é um conceito errado, pois temos válvulas (esfíncteres) que se fecham depois da passagem dos alimentos, não permitindo a passagem dos odores estomacais para o meio externo.Normalmente, o mau hálito pode ser atribuído ao estômago apenas em duas situações básicas: no arroto, e refluxo gastroesofágico, quando há uma deficiência no funcionamento da válvula que separa o esôfago do estômago.

O diagnostico da halitose inclui um exame detalhado da boca, da língua e dos dentes, porque resíduos, placas bacterianas e bactérias podem ficar acumuladas em várias regiões da boca. Gengivite e periodontite são causa de halitose e merecem tratamento. Cáries mais extensas, além de reter restos de alimentos com bactérias, podem atingir a polpa do dente e causar a mortificação pulpar que pode provocar um odor desagradável.

Temos algumas patologias associadas com o mau hálito, como as sinusopatias, problemas respiratórios e amídalas inflamadas.
Uma das causas mais comuns é a diminuição do fluxo salivar, a xerostomia. Diversos fatores interferem na diminuição de saliva pelas glândulas salivares como a utilização de remédios e alguns problemas respiratórios. Em pacientes que respiram mais pela boca, o ressecamento da mucosa pode provocar a halitose. O fluxo salivar também pode ser alterado por falta de ingestão de água. É importante ingerir de dois a três litros de água por dia para evitar que a parte sólida da saliva torne-se mais espessa por falta de líquido e acumule-se no dorso posterior da língua, aumentando a ocorrência de halitose.
Portanto, o problema social causado pela halitose é muito sério e preocupa grande parte da população. Existem estudos que mostram que 14% das pessoas são portadoras de halitose aos 14 anos. Entre os 40 e 65 anos de idade, esse número chega a 47% e acima dos 65 anos, 67% sofrem de halitose crônica. No entanto, 100% dos indivíduos manifestam uma forma esporádica do problema em alguma fase da vida.

No convívio social  a halitose pode interferir  não só no relacionamento social ou amoroso, o paciente com halitose grave tem vergonha de se expor, de conversar e de conviver socialmente. À vezes, não consegue progredir no campo profissional, porque tem vergonha de estabelecer um diálogo aberto e fala com a mão na boca.

Antes de estabelecer qualquer plano de tratamento da halitose, temos que descobrir se a halitose é sistêmica ou local (na boca).  Sendo sistêmica, encaminha-se o paciente para um profissional especialista na área. Se é bucal, devem ser localizadas todas as possíveis causas da halitose: gengivites, periodontites, placas bacterianas, cáries dentárias e a língua.

As três medidas mais importantes para evitar a halitose são: escovação pelo menos três vezes por dia, fio dental e raspador de língua diariamente. No entanto, é preciso consultar o dentista com frequência para uma higienização mais profissional. Às vezes, a pessoa não consegue remover a placa bacteriana ou o acúmulo de tártaro principalmente na região inferior dos dentes.


Postagens mais visitadas deste blog

IMPLANTE COM CIRURGIA GUIADA

É uma técnica em que os implantes dentários são instalados de uma forma menos traumática e na maioria dos casos não há cortes na gengiva proporcionando uma boa recuperação. 
O paciente realiza uma tomografia computadorizada, e através de um software o cirurgião dentista estuda as imagens em 3D realizando um planejamento virtual minucioso da cirurgia. Depois é confeccionado um guia cirúrgico de alta precisão que tem por objetivo permitir a instalação dos implantes dentários sem cortes na gengiva do paciente. Em alguns casos, a prótese pode ser instalada no mesmo dia.
A cirurgia guiada é realizada sempre depois dos estudos clínicos, da tomografia e modelos do paciente. E se apresentarem condições ósseas satisfatórias (espessura e altura) estará apto para realização da cirurgia.
Vantagens: 
1. Planejamento da cirurgia e a prótese no software.  2. Menor tempo cirúrgico  3. Menos invasivo  4. Menor risco ao paciente  5. Melhor recuperação no pós-operatório. 
Consulte a possibilidade de realizar ess…

QUAL A PASTA DE DENTE MAIS INDICADO PARA O MEU FILHO?

Essa é uma das maiores dúvidas que encontramos no consultório, pois os responsáveis ao irem à farmácia ou ao supermercado em busca de uma pasta, encontram diversas opções:  sem flúor, com baixa concentração de flúor, com flúor, com xylitol, isso sem contar com a infinidade de sabores e personagens. Então fica a pergunta qual pasta comprar?

Tanto a Associação Brasileira de Odontopediatria, como a Sociedade Brasileira de Pediatria, recomendam o uso de pastas de dente com flúor desde a erupção do primeiro dente, sendo a concentração ideal entre 1000 a 1500 ppm de flúor, informação que pode ser encontrada no rótulo das pastas.


Mas e o risco de fluorose, já que a água que sai das nossas torneiras já possuem fluor? O que causa a fluorose, que é uma alteração na estrutura dos dentes que podem gerar manchas brancas ou em casos mais severos manchas amarronzadas, é o excesso de flúor ingerido pela criança sem o controle dos pais. Por isso a pasta deve ser usada sob a supervisão de um adulto e na q…

ANESTESIA SEM AGULHA

Método suave para a infiltração da anestesia aplicado através de um micro-disparo na mucosa oral. 
A aplicação é realizada de forma subcutânea sob pressão dosada, praticamente indolor, preservando o tecido e de uma forma eficaz dentro de uma fração de segundo.


As doses são mais baixas reduzindo os efeitos secundários. Indicado para pacientes com receio de agulhas (adultos ou crianças).


Nossas unidades: Av. Sapopemba, 5732 Vil Guarani Rua: Baquiá, 100 Vila Carrão (11) 2911-5133